In . Viagens 3 dias em paris casal em paris o que fazer em paris Paris viajar

3 Dias em Paris

Se me seguem por outras redes sociais e.g. o Instagram sabem que fui passar o meu aniversário a Paris. 
Já fui a Paris há alguns anos e já tive a sorte de ver o Louvre e Versalhes, por isso desta vez gostava de aproveitar a cidade de outra forma. Uma vez que não íamos ter muitos dias pela cidade da luz queria poder senti-la com calma e realmente absorver a cidade e as suas pessoas
*Spoiler alert* Não foi bem isso que aconteceu, andamos muito e aproveitamos todos os minutos da nossa estadia com alguma actividade. 
Para podermos ver tudo, acabámos por não entrar em nenhum monumento e optámos por apreciá-los por fora evitando assim as filas. 

Chegamos ao nosso apartamento em Paris por voltas 16h, convido-vos a ver o vlog da viagem se tiverem interesse no lugar onde ficamos, digamos que é curioso, no mínimo. Ficamos alojados relativamente perto da Sacre Coeur e decidimos começar por lá. Vou já começar por dizer que numa cidade do tamanho de Paris estar relativamente de alguma coisa significa a 1 ou 2 km de distância. Fomos a pé (andamos muito a pé, acho que é a melhor maneira de realmente conhecer uma cidade, é também a melhor maneira de destruir as minhas pernas).


Chegámos à Sacre Cour depois de uma íngreme subida e começou a chover. Mas nem por isso minimizou a enorme beleza, literalmente, desta basílica. Já viajei para algumas cidades europeias e acho que nunca vi nada que se assemelhasse. É realmente um monumento incrível, e a sua localização acrescenta-lhe monumentalidade e aquele toque cinematográfico.


 Em seguida descemos a correr, à chuva, para um jantar antecipado no Hard Rock Café. Reservámos com antecedência e pagámos logo online por um menu relativamente em conta, tendo em conta hehe. Foi divertido, o Tiago gostou da música e o ambiente estava animado. A comida foi boa e  o atendimento também. 

Acabamos de jantar cedo e ainda com algumas horas de luz pela frente, decidimos continuar a nossa excursão pela zona. Desta vez os nossos passeios levaram-nos ao Moulin Rouge. Tirámos a foto da praxe, ou melhor eu tirei a foto da praxe e decidimos voltar a casa. Fomos a pé mais uma vez, choveu. 


Escusado será dizer que no primeiro dia ficamos logos despachados (eu, principalmente). 

No segundo dia acordamos cedo. Tomamos o pequeno-almoço em casa (fomos ao supermercado a caminho de casa na noite anterior) e saímos a caminho da Notre Dame. Apanhámos um metro para o centro da cidade e começámos as nossas explorações. Vimos a catedral e ainda brincamos com a ideia de nos juntarmos à fila para entrar. Mas com o tempo escasso e tanta coisa na nossa lista para ver acabamos por desistir.





Em seguida fomos a uma praça que podíamos muito bem ter passado sem ir, mas nas nossas pesquisas em casa ficámos a pensar que seria um ponto a não perder, errámos. 
Também passámos algum tempo à procura da Sainte Chapelle, só para depois percebermos que teríamos de pagar para entrar num edifício e só assim daria para ver a capela. Fiquei com alguma pena de não ter visto este monumento, eu adoro arquitectura gótica e sempre foi um edifício que me marcou muito nos meus estudos (apenas significa que terei de voltar).
Rumamos em direcção ao Centre Pompidou, é um edifício enorme, moderno e colorido que tal como o exterior sugere alberga arte moderna e contemporânea. Mais uma vez e seguindo o plano de toda a viagem admirámos o edifício por for e seguimos caminho. Achei uma certa piadas às cores, mas não é de todo o meu género de arte.
Visto este ultimo, seguimos por uma íngreme subida até ao Panteão. Esse sim foi um edifício que marcou, foi dos que mais me marcou, talvez por ser um dos que ainda não tinha visto ao vivo. Mas a imponência daquela fachada que quase parece grande de mais relativamente ao resto do edifício, deixou-me realmente de boca aberta. Sentá-nos um pouco nas escadas à sombra do Panteão para recuperarmos o folgo, o que perdi com a subida e o de ter posto os olhos no monumento.
De seguida passámos pelo Musée d'Orsay, mais um exemplo de arquitectura que aprecio, subimos o riu em direcção ao Hotel des Invalides e paramos para almoçar uma baguete sentados na relva com vista para mais um dos imponentes exemplos de arquitectura que a cidade tem para oferecer. Vimos a ponte Alexandre III de caminho.


A parte da tarde ficou reservada para a Torre Eiffel que nos esperava ao fim de mais uma caminhada. Eu disse-vos que tínhamos andado muito? É que andámos mesmo muito!
Ficámos na fila para subir à torre umas 2h30m e quando finalmente subimos tivemos de esperar noutra fila para aceder o topo da torre, por isso é realmente algo demorado e que só se faz uma vez na vida. Valeu a pena, as vistas são incríveis lá de cima!





Quando finalmente voltámos a terra firme, fomos para o apartamento mudar de roupa e jantar pois tinha-mo-nos inscrito num Bar Crawl. Achámos que seria a melhor maneira de apreciar a vida nocturna de uma cidade como Paris, pois de outra forma não faríamos a mínima ideia por onde começar. Foi divertido e fomos recebidos por uma camarada portuguesa (pais portugueses, mas a Natália falava muito bem português e recebeu-nos muito bem).
No terceiro dia e o do meu aniversário, acordámos mais tarde e escolhemos tomar o pequeno almoço fora. Afinal tinha levado perto de 2 semana a sonhar com croissants e ainda não tinha comido nenhum.

Comemos o dito cujo num café típico parisiense e custou-nos os olhos da cara, mas valeu a pena!
Fomos digerir o croissant para o Museu de Cera, Grévin onde nos divertimos as tentar descobrir as personagens, ao inicio não conhecíamos ninguém porque eram só personagens da cultura francesa, mas mais tarde começamos a conhecer os de nome mais internacional.
A seguir ao Grévin, foi hora de ir até ao Louvre e fazer um dos passeios mais conhecidos e celebrados da Europa. Começamos no Louvre e subimos os Jardin des Tuilerie, atravessámos a Place de la Concorde subimos pelos jardins dos Champs-Elysées, parámos para almoçar num café e acabámos no Arc du Triomphe onde tirámos a foto da praxe.




Por fim visitámos o Aquário e muito rapidamente eram horas de voltarmos a casa para nos trocarmos para o jantar.
Reservamos uma mesa num cruzeiro no rio Sena, achei que seria adequado para a ocasião e ainda não tínhamos tido tempo de fazer o cruzeiro por isso foi uma oportunidade bonita de fazer os dois.
Bebi e apreciei vinho tinto pela primeira vez na minha vida, eu e o Tiago seguimos as ordens da fotógrafa a bordo e quase morremos de vergonha, e contemplamos do rio os diversos monumentos que ladeiam os dois lado do Sena. Com a luz da hora de ouro a brilhar por entre os monumentos, foi qualquer coisa!

Acabámos a noite a dar uma volta pelas redondezas onde atracámos.
E assim acabou a nossa viagem. No dia seguinte ainda tentamos comer mais um pequeno almoço francês mas não escolhemos uma zona muito boa para sair do metro e acabamos por perder imenso tempo de um lado para o outro. Ficamos sem tempo e decidimos ir directo para o aeroporto.

Foi uma viagem cansativa, como muitas destas "city breaks" mas foi lindo e já posso dizer que passei o aniversário num cruzeiro no Sena o que não é para todos.



Espero que tenham gostado!

LOTS OF LOVE

LVB





Related Articles